terça-feira, 2 de junho de 2009

Hermenauta, o imbecil

O senhor Nils-Axel Mörner, chefe do departamento de Paleogeofísica e Geodinâmica da Universidade de Estocolmo até 2005, presidente da Comissão de Mudanças do Nível do Mar da INQUA (International Union of Quaternary Research) durante 1999-2003, é, segundo Reinaldo Azevedo, a maior autoridade mundial em aquecimento do mar. Sabem o que ele acha? Contrariando o atual senso comum, diz ele que o nível do mar não se elevou nos últimos 50 anos. Ocorre que ele é também um admirador da técnica chamada dowsing.


Dowsing, em português, é radiestesia. Eu não sei o que é, mas o Hermenauta me esclarece: trata-se de uma técnica para captar radiações de diversas origens, incluindo objetos inanimados (águas subterrâneas, por exemplo) e até mesmo espíritos. Conclusão do Hermenauta: o senhor Mörner, citado como especialista por Reinaldo Azevedo, é decerto um desequilibrado e charlatão. Entenderam? Vou explicar: o senhor Mörner é um cientista. Mas ele é um admirador da radiestesia. Entre suas inúmeras utilidades, a radiestesia (alega-se) pode ser usada para captar radiações de espíritos. Logo, o senhor Mörner é um desequilibrado e charlatão. Ora, mas ele acredita em espíritos? O Hermenauta não sabe. Ele já acreditou em espíritos? O Hermenauta também não sabe. Para que o senhor Mörner defende a radiestesia? Não sei, tampouco sabe o Hermenauta. Mas se o senhor Mörner é admirador de uma técnica que, segundo a Wikipedia, pode ser usada para procurar espíritos, ele é com certeza um desequilibrado. E charlatão. Percebem a causalidade gritante?


Dados os fatos, vi-me compelido a botar um pouco de bom senso na cabeça do Hermenauta. Eis o que lhe argumentei:


«Vê, eu não tenho opinião formada a respeito do aquecimento global. Há cientistas a favor e há cientistas contra. A maior parte é a favor? Talvez. Isso prova algo? É certo que não. O mesmo vale para a elevação do nível do mar. A verdade é que o Hermenauta também não sabe se o aquecimento global e a elevação do nível do mar são causados pelo homem ou não. E, por favor, este gráfico no fim do post* é um golpe baixo, de vez que ninguém, repito, NINGUÉM, vai se dar ao trabalho infernal de tentar checar seus dados. Usar gráfico em discussão é golpe baixo. Com relação a esse sujeito, Nils-Axel Mörner, se ele é um “desequilibrado” e “charlatão”, o que podemos pensar da INQUA e da Universidade de Estocolmo? Seriam centros de charlatanice? (Não que isso me importe)»


* O Hermenauta ilustrou o fim de seu post com um gráfico, todo ele muito científico, para provar que o nível do mar está de fato aumentando.


Eis como o Hermenauta me respondeu:


«“A maior parte é a favor? Talvez. Isso prova algo? É certo que não.” Você já ouviu falar em Método Delphi? Nãããão? Bom, é hora de procurar saber. “E, por favor, este gráfico no fim do post é um golpe baixo”. Você está mesmo dizendo que 100% do que entendemos como Ciência é um “golpe baixo”? “de vez que ninguém, repito, NINGUÉM vai se dar ao trabalho infernal de tentar checar seus dados. Usar gráfico em discussão é golpe baixo.” Você está mesmo tentando dizer que a Ciência não progride justamente pela competição entre pesquisadores que reproduzem ou tentam reproduzir os resultados uns dos outros? Você está mesmo tentando demonstrar à audiência deste blog que ignora totalmente o funcionamento do método científico?»


Dado que o Hermenauta recusou minha tréplica em seu blogue fedorento, publico-a a seguir:


«Hermenauta, você tem razão. Parece que me precipitei ao dizer que o fato de a maioria ser a favor de algo não prova a verdade desse algo. De fato, peguei aqui da estante o Logik der Forschung (1973) e, no capítulo “Causalidade, Explicação e Dedução de Predições”, Popper diz o seguinte: “Assim sendo, quando a maioria dos pesquisadores declararem válida uma teoria qualquer, a maioria mesma é prova de que a teoria é verdadeira”. Outro a corroborar as idéias do Hermenauta é Kuhn, que, no seu The Structure of Scientific Revolutions (1962), diz o seguinte: “A distinção entre fato e teoria é artificial. O que importa é que, quando a maioria dos cientistas levanta os bracinhos e apóia uma teoria qualquer, ela se torna um paradigma e, logo, verdade” (Tive que traduzir os dois trechos, porque se o Hermenauta lê tão bem em inglês e alemão como escreve mal em português, não entenderia nadinha). Vê-se, pois, que o Hermenauta estava certo: o aquecimento global está provado porque a maior parte dos cientistas acha que ele é verdade. No próximo congresso sobre aquecimento global, os cientistas se reunirão e votarão, por maioria simples, o que ainda é verdade e o que não é. Com relação aos gráficos, cumpre dizer que não, gráficos não são golpe baixo. Apenas quanto utilizados em discussões comezinhas de blogues intestinos e malcheirosos como o seu.»


4 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pelo estômago, Fábio.

Eu já não tenho mais nenhum para quem ainda insiste no «argumentum ad personam».

Ele gasta 2/3 do post criticando a radiestesia para depois falar do que realmente importa, como se as ligações entre radiestesia e o aquecimento global fossem óbvias no cientista que ele pretendia criticar. Patifaria pura.

Com o perdão da palavra, caguei pra essa patota. Pra isso meu estômago funciona bem.

Cássio disse...

Ou bem você acredita em ciência ou bem você acredita em mágica. Nas duas coisas juntas, não dá. Mostre-me apenas um trabalho bem-conduzido e controlado, que tenha sido reproduzido independentemente, e que demonstre que a radiestesia é um método mais eficaz que o acaso para, digamos, encontrar água, and only then we are talking the same language. Citar Popper e Kuhn é contar quantos anjos cabem na cabeça de uma agulha. Fui.

Fábio disse...

Cássio,

Como você deve ter visto, eu mesmo disse no post não saber o que é a radiestesia, e tomei como definição exatamente o que o Hermenauta disse. A questão é que (1) ele também não sabe o que é radiestesia, ou, se sabe, não esclareceu de maneira adequada, apenas pegou uma definição da Wikipedia. Além disso, (2) mesmo tomando por pressuposto que a radiestesia é tão científica quanto a astrologia, não há como deduzir que, por um sujeito simpatizar com ela, ele seja necessariamente um vigarista. Que você leia o horóscopo todo dia é algo que considero uma estupidez. Mas não deduzo disto que você seja um charlatão em seu trabalho.
Por fim, caso não tenha ficado claro, as citações de Kuhn e Popper são uma brincadeira (por favor, eles não escreveram aquilo de verdade).

Anônimo disse...

Cara a argumentação do hermanauta é sempre um primor;

Entao vejamos:

O Herme acha que religiao é charlatanismo, assim como radiestesia;

Que um profissional da ciencia nao pode ser cientificamente bomse acredita em algo;

Entao os milhares de cientistas e inventores cristaos...sao o que ?

Não sei se o Thomas Edison era cristao, ou o Tesla,

Nao sei se os indianos que fazem pesquisas matematicas de software acreditam em algo,

Nao sei se quem inventou o Intel acredita em Duendes,

Mas uso o produto deles...

Nao sei se o cara acredita em radistesia, mas dai a duvidar da pesquisa cientifica dele.. nao da pra ligar as duas coisas...

Ah, lembrei: Tesla creditava em espiritos !